Suicídio Parte I
24 de Julho de 2018
Suicídio Parte I

Em alguns momentos da vida, em situações de muito sofrimento, muitos pensam que a morte é a única saída...

O sentimento de desesperança, angústia e desespero faz com que a pessoa se sinta no seu limite, pois o desespero toma conta não permitindo que veja saídas alternativas da situação na qual se encontra.

Se você está passando por um momento parecido, ou conhece alguém que esteja passando, que percebe a dor emocional tão grande que vê o suicídio como a única solução possível, reflita um pouco, dê continuidade na leitura, pois poderá perceber a importância e urgência de buscar ajuda especializada.

As pesquisas mostram o quanto o suicídio e tentativas de suicídio têm aumentado ao longo dos anos. Uma grande parte das pessoas que tentam o suicídio sem sucesso, voltam a tentar caso não busquem ajuda especializada, aumentando a probabilidade de morte por esse motivo.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, 9 em cada 10 casos poderiam ser prevenidos. É sério problema de saúde pública atualmente, e é ainda situação do tabu e do aumento de suas vítimas é o suicídio. Dados oficiais confirmam que são 32 brasileiros mortos por dia, taxa superior às vítimas da AIDS e da maioria dos tipos de câncer. A maior parte das pessoas que se suicidaram estavam deprimidas. Os dados apontam ainda, que a probabilidade de tentativa é maior nas mulheres, que por outro lado, os homens apresentam maior probabilidade de consumar.

Tem sido um mal silencioso, pois as pessoas fogem do assunto e, por medo ou desconhecimento, não veem os sinais de que uma pessoa próxima está com ideias suicidas.

Se por um lado o suicídio simboliza o desejo de acabar com o sofrimento. Por outro, há o desejo de comunicar aos outros a sua dor. É um pedido de ajuda, de certa forma. É provável que as pessoas que já tentaram ou cometeram suicídio, escolheriam outra forma de solucionar os problemas, se não se se encontrassem em um estado tão paralisante de angústia e desespero.

Cada pessoa tem seus motivos particulares e profundamente dolorosos, seja em área familiar, amorosa, financeira, saúde, sensação de isolamento, falta de perspectivas, abusos, etc. São muitos fatores que podem ser relevantes. Vale ressaltar que muitas vezes há a presença de perturbações de humor (depressão, perturbação bipolar, esquizofrenia), que pode contribuir para um estado desorganizado, aumentando o desespero.

Alertas

Na maioria das vezes, o suicídio é um ato planejado. Apesar das pessoas próximas sentirem como inesperado quando acontece. A maioria das pessoas que cometem suicídio dão pistas e sinais de alerta, que podem não ser percebidos pelos próximos.

Alguns exemplos:

• Tornar-se uma pessoa depressiva (presença de tristeza, pessimismo, desesperança).

• Mudanças nos comportamentos (de risco, marcados por impulsividade) e na aparência.

• Isolamento Social.

• Insônia.

• Consumo de álcool e drogas.

• Automutilação.

É possível reconhecer alguns sintomas, foram listados alguns exemplos de sinais que podem indicar a presença de ideação ou tentativa de suicídio. Quanto maior o número de sinais, maior o risco, o que sugere maior urgência em procurar ajuda.

Claudilene Alves de Oliveira
Psicóloga Clínica
CRP: 06136619

Referências:
www.setembroamarelo.org.br/historia
www.prevencaosuicidio.blog.br/dados


Artigos Relacionados

Atenção Plena
Atenção Plena
19 de Julho de 2018
leia mais...
Ajudando a gerenciar a ansiedade nas Crianças
Ansiedade nas Crianças
07 de Junho de 2018
leia mais...
Autocompaixão
Autocompaixão
14 de Junho de 2018
leia mais...